O ano era 1976 e o calendário marcava o dia 14 de maio em uma Curitiba efervescente, cheia de ideias. Um grupo de jovens taxistas resolveu colocar em prática algo que até então não existia no Brasil. Eles pesquisaram, ousaram e conseguiram criar a primeira radio táxi do país.  Pela primeira vez, os curitibanos puderam ligar para uma central e pedir a corrida pelo telefone. Um fato inédito na época, que rendeu até matérias nas capas dos maiores jornais da capital paranaense.  Assim nascia a Radiotaxi Faixa Vermelha!

De lá para cá, o ineditismo norteou os caminhos dos associados. Não demorou para que a Faixa Vermelha Taxi62 lançasse um novo conceito de atendimento personalizado na capital: o Táxi Executivo.  “Foi preciso explicar como funcionava o serviço. Na época, os carros usados como táxi eram os clássicos opalas. Tínhamos os diplomatas, os comodoros, dava gosto de ver”, lembra o presidente da Faixa Vermelha Taxi62, César Bueno. Hoje, vários veículos luxo podem ser acionados, com opção de motoristas bilíngues, inclusive.

Parceiras garantem bons frutos no campo social. A central colabora com o Instituto Pelé, projeto do Hospital Pequeno Príncipe que desenvolve trabalhos científicos de alto nível, voltados para aumentar o índice de cura de doenças complexas da infância e da adolescência. A dobradinha com a Freguesia do Livro, garante literatura de qualidade durante as viagens. A Ong arrecada, organiza e encaminha bons exemplares para doação em pontos de leitura móveis, dentro dos táxis.

Clientes cativos atestam a qualidade e a excelência dos serviços. Recentemente a proprietária do Castelo Batel, mansão que abriga os maiores eventos de Curitiba em uma das áreas mais nobres da cidade, abriu as portas para uma sessão de fotos com os taxistas da Faixa Vermelha Taxi62.

Vera Lupion é cliente do serviço executivo desde 1998. E o responsável pela preferência é César Bueno. “Eu precisava de um táxi executivo, aí mandaram o Seu César para me atender. Gostei muito do trabalho dele, bastante atencioso. Na época meus três filhos moravam fora e meu marido estava doente. Seu Cesar ajudou muito no transporte dele, deu um apoio muito grande. Quando ele não podia, indicava outro motorista e eu passei a confiar e desde 1998, sou cliente!”, conta ela.

Recentemente, a Faixa Vermelha Taxi62 surpreendeu pelo fôlego financeiro e apesar da crise que atinge o setor, comprou a Lig Taxi 333, aumentando a frota para 720 carros próprios, tornando-se a maior Associação de Táxis do Estado.  Para manter as contas em dia, aposta na boa gestão, descontos e promoções, como por exemplo, distribuição de ingressos para lançamentos no cinema.

“Queremos mostrar ao associado que os pequenos detalhes fazem toda diferença para cativar o cliente”, explica César. O presidente também conta que está atento aos avanços da tecnologia. Além das corridas pelo telefone fixo (41) 3262 6262, é possível chamar pelo celular (41)99962 6262, no WhatSap ou Aplicativo Taxi62.  Os passageiros podem ser informados pelo Site, Twitter, Instagran e Facebook.

A última novidade é de vanguarda entre as centrais do Paraná. A Faixa Vermelha Taxi62 agora está nas ondas do radio, na internet. “A ideia é oferecer música de qualidade aos motoristas e passageiros, onde quer que estejam”, se orgulha o presidente. Para ouvir a Radio Web Faixa Vermelha, basta entrar na Play Store de qualquer celular e baixar o aplicativo pelo nome “Radiotaxi Faixa Vermelha”.